Cim - requisitos de internacionalização das empresas

Disponible uniquement sur Etudier
  • Pages : 4 (809 mots )
  • Téléchargement(s) : 0
  • Publié le : 13 avril 2011
Lire le document complet
Aperçu du document
15 aspectos a considerar para as empresas que querem exportar para Espanha

1. Um mercado com 17 comunidades Autónomas
Espanha é constituída por 17 Comunidades Autónomas (regiões) e duascidades autónomas. Considerar que cada uma delas tem gostos e hábitos de consumo diferentes. É importante estabelecer as relações com os clientes com base neste factor.

2. Ter em atençãoparticularidades de horários e feriados.
O período de almoço decorre geralmente um pouco mais tarde que em Portugal, entre as 14h00 e as 16h00. O mesmo se passa com a hora de jantar: entre as 21h00 e as 23h00.A regulamentação geral dos horários comerciais e dos feriados é da competência de cada Comunidade Autónoma e há diferenças não só nos feriados mas também nos horários.

3. Ter atenção aslínguas utilizadas em cada comunidade.
Em Espanha existem 5 línguas oficiais: o castelhano, o galego, o catalão, o valenciano e o basco. O castelhano é a língua oficial de todo o Estado. As outras línguassão oficiais nas respectivas Comunidades Autónomas. Nestas, pelo facto de ser privilegiado, um relacionamento próximo, é útil um conhecimento básico da língua local.

4. Construir umareputação
Existe um clima de “desconfiança” do espanhol relativamente às empresas com as quais não estabelecem nenhuma relação, por desconhecer a fiabilidade do produto e/ou serviço, privilegiando o contactocom aquelas que dominam sua própria língua e que possuam uma sede local. O estabelecimento de relações de confiança e de bom serviço, assim como a relação directa e pessoal, são imprescindíveis paraprogredir no mercado e construir a reputação da empresa.

5. Evitar cerimónias
Em Espanha não é utilizado o tratamento de Doutor (com excepção dos médicos) ou de Engenheiro e é bastante habitualo tratamento por “tu”. O povo é latino, têm uma lógica de proximidade e amizade numa relação empresarial e com o cliente. Uma abordagem mais racional e anglo-saxónica não é muito bem recebida....