Sujet de dissertation

Disponible uniquement sur Etudier
  • Pages : 5 (1057 mots )
  • Téléchargement(s) : 0
  • Publié le : 9 décembre 2010
Lire le document complet
Aperçu du document
1 - Da geração de 70 destacou-se o autor do romance “Os Maias”. Numa cuidada composição, clara, concisa, e correcta sobre todos os aspectos, exponha o que sabe sobre a sátira feita nessa obra através das seguintes personagens: João da Ega, Tomás de Alencar, Dâmaso e Eusébio.
2 - Considerando “Os Maias” como uma pintura da sociedade lisboeta, faça uma composição em que, centrando-se em doisquadros desse imenso painel, refira:. a classe social focada,. o modo como é definida pelo narrador,. o processo pelo qual o narrador lhe confere realidade.
3 - “Independente! Só por isso os jornalistas me negam as colunas”.A falta de dignidade de certa imprensa é também motivo de crítica em Eça de Queirós. Refira-se a passos de “Os Maias” que condenam, o mau jornalismo da época.
4 - “Ela cruzava-onuma bela tarde, bela como uma deusa transviada”.Estabeleça um confronto entre a visão que Carlos tem de Maria Eduarda com a concepção da mulher que pôde apreciar em textos de poética trovadoresca.
5 - “... meu amado...” e “... meu marido...” definem a ligação que Maria Eduarda e Maria Monforte estabelecem com duas personagens em “Os Maias”. O amor por elas inspirado é um dos responsávis peloclima trágico vivido no romance.Numa cuidada composição, desenvolva os aspectos implícitos nestas afirmações.
6 - Numa cuidada disertação, comente as seguintes afirmações de Ernesto Guerra da Cal sobre “Os Maias”: Todas as personagens são derrotadas duma maneira ou doutra, todo o mundo mais ou menos falha” diz João da Ega - Isto é, falha-se sempre na realidade aquela vida que se planeou com aimaginação.”
7 - Aprecie criticamente a afirmação abaixo transcrita, baseando-se na actuação de Carlos e Ega ao longo da obra:“ - E que somos nós? - exclamou Ega - Que temos nós sido desde o colégio, desde o exame de latim? Românticos: isto é, indivíduos inferiores que se governam na vida pelo sentimento e não pela razão”.
8 - Atente no seguinte passo de “os Maias”:“... Era uma manhã muito fresca, todaazul e branca, sem uma nuvem, com um lindo sol que não aquecia, e punha nas ruas, nas fachadas das casas, barras alegres de claridade dourada. Lisboa acordava lentamente: as saloias ainda andavam pelas portas com os seirões das hortaliças; varria-se devagar a testada das lojas; no ar macio morria à distância um toque fino de missa”.Numa dissertação cuidada, explique como Eça de Queirós põe emprática neste passo e ao longo da obra as ideias expostas na 4ª Conferência do Casino, subordinada ao título “O Realimo como nova expressão de Arte”:“O Realismo deve ser perfeitamente do seu tempo, tomar a sua matéria na vida contemporânea. Deste princípio, que é basilar, que é a primeira condição do Realismo, está longe nossa literatura.”
9 - No romance “Os Maias” encontramos personagens planas,personagens modeladas ou meros figurantes. Refira-se de forma especial a esta última categoria, indicando por meio de exemplos devidamente seleccionados a função que desempenham na obra.
10 - Também Carlos, que julgava encontrar um paraíso no seu amor por Maria Eduarda, acaba por cair num inferno sentimental que ocasiona a morte inesperada do avô. Mostre, numa curta mas cuidada composição, queexistem n’Os Maias além de crítica mordaz aos costumes da época, uma tragédia familiar.
11 - No final d’Os Maias, Carlos da Maia e João da Ega percorrem o Chiado, onde encontram Dâmaso Salcede.Trace o perfil deste figurante e ponha em relevo sua função na obra.
12 - Os Maias reflectem a sobreposição de valores materiais às forças criadoras no mundo artístico da Lisboa da Regeneração, já que nos épossível confrontar o ponto de vista do narrador e de algumas personagens sobre literatura (no jantar do Hotel Central, por exemplo), a conduta de alguns artistas (como Tomás de Alencar e Cruges) e a reacção do público (no Sarau da Trindade).Analise os elementos acima referenciados e demonstre o seu valor para a caracterização da sociedade da época.
13 - Há, em OS MAIAS, vários espaços físicos...
tracking img